22 de jul de 2012

Resultado da enquete (até 21/07/12)

Agradeço de montão os amigos e conhecidos que contribuíram!!!
(enquete postada esta semana clique aqui)

Percebia que muitos ao meu redor queriam entender como é que instituições criadas para o desenvolvimento intelectual conseguiam a peripécia de fazer o contrário: Asfixia Intelectual.

A enquete dessa semana deu uma medida de quantos seriam esses muitos: 92% (só 8% não tem interesse em entender isso).

Olha que legal, mesmo não tendo interesse no assunto, esses 8% são pessoas que se interessaram em contribuir com a minha aprendizagem. São amigos que sabem da importância de ter um posicionamento. Obrigada!

Boas novas para o pessoal que não conhece ninguém além de si (14%). Vocês não estão sós!!! Vocês conhecem a mim e, portanto, têm acesso fácil a "muitos" com o mesmo interesse que vocês.

A maioria conhece poucos (54%). Quê? Simples: Muitas vezes poucos = Muitos. Uau!

hummm ... 

Fiquei BEGE com o tanto de gente ao meu redor que conhece muitas pessoas interessadas nisso: 24%. Ora, Muitas vezes muitos = Muito Mais!

Isso reflete a sociedade? Não, e não me importa isso! Isso reflete o mundo concreto que está ao meu alcance. "Sociedade" é um conceito abstrato e não tenho a pretensão de conversar com coisas que estão fora do meu alcance. Sou uma pessoa concreta e só é factível, pra mim, conversar com pessoas concretas que estão ao meu redor.

Assim como a maioria de vocês (92%) eu (que sempre trabalhei no mundo corporativo e nunca na educação) queria entender COMO é que jaca (escola, que deveria ser algo doce) produz abacaxi (algo ácido: asfixia intelectual).

Resolvi minha dúvida: enfiei o pé na jaca!!!

Há cerca de 9 anos decidi exercer minha cidadania contribuindo em um cenário que já se mostrava negro: escola pública. Como professora de Filosofia, vivenciei a dinâmica cotidiana do processo de aprendizagem na escola pública e entendi COMO jaca produz abacaxi.

Quando enfiei o pé na jaca, aprendi também que para entender COMO uma coisa funciona é preciso entender o funcionamento (o processo) e não o perfil dos componentes. Não basta analisar o perfil dos diretores, professores ou alunos, nem analisar isoladamente os objetos e a infra-estrutura.

Há uma quantidade enorme de pesquisas e estatísticas desse tipo que vêm a público permanentemente e que não ajudam as pessoas a entenderem o problema e portanto não lhes são condições de concordar ou não com as propostas que são apresentadas para tentar resolver esse "abacaxi".

Percebi que para contribuir com as pessoas que estão fora da área da educação e que, como eu, gostariam de entender e se posicionar como cidadão, a melhor maneira era fazer uma pesquisa diferente dessas e decidi, novamente, enfiar o pé na jaca.

Fiz um estudo de caso de COMO isso funciona que traz uma visão sistêmica da jaca produzindo abacaxi,  e vejo que essa aprendizagem que tive é útil a "muitas pessoas". Por isso, resolvi compartilhar a aprendizagem e publicar o estudo.

O caminho vigente para publicação de um livro implica em "vender" direitos autorais a uma editora e a aprendizagem só ficaria disponível a quem "comprar" o livro da editora. E isso se a editora se interessar em investir em divulgação, caso contrário, nem mesmo quem queira/possa pagar saberá que uma aprendizagem de seu interesse está disponível.

Penso que a lógica desse caminho é cruel e contrária ao meu interesse em contribuir com as pessoas que querem aprender algo que eu aprendi. Por isso, tive uma ideia. Adivinha? Uau, você é mesmo muito intuitivo. Isso mesmo, tive a ideia de enfiar o pé na jaca. :)

Sim, inverter essa lógica perversa da publicação para que "muito mais" pessoas tenham acesso a essa aprendizagem que lhes interessa e que esse acesso seja gratuito, sem pagar pelo livro. E mais, quero realizar um o lançamento da pesquisa com um debate online.

Quem gostaria de organizar isso comigo? Pode tem muitas formas de estar junto conosco, mesmo online: dando sugestões de coisas que podem ser feitas; na própria organização das coisas; compondo a mesa de debate; divulgando, enfim, como achar melhor. Topa?


Então, escreve na minha caixa de mensagem do face dizendo que tá afim de enfiar o pé na jaca conosco e ajudar as muitas pessoas que estão interessadas em entender como é que jaca produz abacaxi !!!

PS: a partir de 15/08, o projeto Pé na Jaca colcocou no ar a campanha de micro-patrocínio para viabilizar a publicação e o debate. Para isso acontecer só depende da tua contribução e do teu empenho em conquistar outros micro-patrocinadores.
Bora lá ... | site |